Programa InovaCaxias: Powermig recebe visita da SDETE

Programa InovaCaxias: Powermig recebe visita da SDETE

O município de Caxias do Sul implementou, no final de fevereiro, o Programa InovaCaxias, que visa o incentivo à inovação e é um importante impulsionador para o empreendedorismo e desenvolvimento dos negócios estratégicos locais. Além disso, o programa prevê, para processos contemplados, a redução da alíquota de ISSQN de 4% para 2% para projetos de inovação de empresas certificadas.

Representantes da SDETE (Secretaria do Desenvolvimento Econômico de Caxias do Sul), o Secretário Municipal do Desenvolvimento Econômico, Élvio Luis Gianni, e a Diretora de Inovação da pasta, Raissa Camps, estiveram na Powermig no dia 12 de maio, a fim de conhecer a estrutura tecnológica e fabril e as iniciativas de inovação promovidas pela marca.

Além de conferir de perto a estrutura, a visita buscou estreitar o relacionamento entre a entidade e a empresa, visto que a Powermig foi a primeira indústria que foi contemplada pelo Programa InovaCaxias, em março deste ano.

A Powermig, que gera grande volume de projetos ligados à inovação, segue remetendo os conceitos para a SDETE, com o objetivo de  promover o avanço tecnológico da cidade, desta forma enaltecendo a capacidade de inovação e empreendedorismo locais.

Por parte da Powermig, participaram da reunião o Diretor Juarez Fochesatto, o Coordenador de Pesquisa e Desenvolvimento, Mairon Marques, e o Gerente de Engenharia e Assistência Técnica, José Vitor Flach.

InovaCaxias: Saiba mais sobre o Programa Municipal

Podem participar do InovaCaxias: startups, empresas decorrentes de processo spin-off, empresas que desenvolvem soluções tecnológicas nas áreas de saúde, educação, sustentabilidade e de transformação digital de governos, empresas com foco na implementação de espaços compartilhados de trabalhado, focados em inovação, aceleradoras, investidores anjos, fundos de investimento privados, entre outras.

Os projetos de inovação são avaliados por uma comissão composta por representantes da SDETE e Secretaria de Gestão e Finanças. O processo de certificação está estruturado em cinco etapas.

Para conhecer o Programa e saber mais, acesse AQUI o site do InovaCaxias.

Falta de soldadores abre espaço para automação na indústria

A crescente escassez de mão de obra, indicando falta de soldadores na indústria, está expondo a necessidade cada vez maior que as empresas têm de automatizar seus processos. Dados recentes do setor indicam que faltarão trabalhadores neste setor em países da Europa e do Reino Unido, além dos Estados Unidos.

Essa tendência acende o sinal de alerta também para a indústria brasileira, que já sofre há alguns anos com a falta deste tipo de profissional em seus times. O cenário foi agravado ainda mais pela pandemia de Covid-19 que desde 2020 impactou diretamente a forma como interagimos enquanto sociedade.

Quando falamos de mercado de trabalho, neste caso, as medidas restritivas de circulação de pessoas para tentar conter a disseminação do vírus alteraram significativamente os padrões pré-estabelecidos antes da pandemia. Os parques fabris, por exemplo, foram esvaziados, situação que levou os gestores a traçarem estratégias para manterem suas operações em funcionamento em meio à crise sanitária.

Falando dos EUA, em especial, a estimativa da American Welding Society (AWS) indica que haverá uma escassez de mais de 375 mil soldadores até 2023. De acordo com pesquisa da AWS, essa condição pode estar relacionada ao fato de que os estudantes estão escolhendo cada vez mais as universidades, fazendo com que haja uma baixa procura pelas escolas profissionalizantes americanas.

E essa tendência deve ser sentida também por outros países, como é o caso do Brasil.  Mesmo com as altas taxas de desemprego (dados do IBGE apontam que o País registrou a marca de 14,8 milhões de desempregados), os recrutadores brasileiros estão com mais dificuldade para encontrar mão de obra qualificada.

Pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI), aponta que cinco em cada dez empresas do setor relatam a falta de mão de obra apropriada – e soldador aparece nesse levantamento. O levantamento da CNI indica que a falta de mão de obra qualificada impossibilita as empresas de aumentar a sua produtividade e de melhorar ou manter a qualidade dos seus produtos, o que reflete diretamente na competitividade do negócio.

Eficientização de processos e redução dos custos de produção

Impulsionado pelo advento da Indústria 4.0 (também chamada de 4ª Revolução Industrial), esse movimento está cada vez mais presente em diversos mercados ao redor do mundo, tendo como foco em questões como aumento da produtividade e redução de custos. Quando falamos deste último item, a diminuição de gastos é um dos principais benefícios da Indústria 4.0 – fator que se deve especialmente à inteligência das máquinas.

Como possuem autonomia para programar suas manutenções, estes equipamentos têm a capacidade também de evitar o desperdício de recursos (matéria prima) envolvidos nos processos de produção. Os números referentes ao tema demonstram a relevância da indústria 4.0 na garantia de produtividade e competitividade. Conforme relatório da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), existe a previsão de que os custos industriais com a produção sejam de no mínimo R$ 73 bilhões/ano, quando a tecnologia estiver em pleno funcionamento. Essa realidade também deverá gerar impacto positivo no cliente final, pois com menos custos envolvidos na produção, itens de consumo deverão chegar a preços menores e com mais qualidade no mercado – todos ganham.

Na contramão da falta de soldadores: automatização dos processos é alternativa mais viável

A automatização das linhas de produção, em especial de soldagem, desponta como uma das principais alternativas para esse cenário de falta de mão de obra qualificada. Os avanços tecnológicos do setor permitem que os robôs desempenhem funções cada vez mais complexas.

A robótica, por meio de sistemas previamente programados, permite que os equipamentos operem determinadas funções de maneira autônoma. Nesse contexto, o principal diferencial da indústria 4.0 é justamente o ganho tecnológico na área de automação, que é a capacidade dessas máquinas trabalharem sem que haja necessidade de controle humano em sua operação. Ao falarmos de Brasil, esse processo começou em 2017, quando associações, governo e indústrias se uniram para formar o Grupo de Trabalho para a Indústria 4.0 (GTI 4.0).

O desafio para consolidar essa tendência é a modernização das fábricas, com a adoção de linhas de produção robotizadas, com menor dependência humana. No entanto, esse processo não tem como objetivo excluir o trabalhador do ambiente fabril – pelo contrário, pois cada vez mais esse mercado exige profissionais capacitados a operarem os novos sistemas robotizados.


E então, gostou do tema? Quer colocar sua empresa no mapa da nova revolução industrial?

Fale com um dos nossos especialistas e conheça as soluções que possuímos na área de soldagem automatizada. Para saber mais sobre as tendências de inovação na indústria e os benefícios para sua empresa, siga a Powermig nas redes sociais.

Panasonic: equipe japonesa visita Powermig

No dia 17 de fevereiro, a Powermig recebeu em sua sede, em Caxias do Sul, a visita da Panasonic, do Japão.

A equipe japonesa é responsável pelas tratativas entre as empresas, que têm uma sólida parceria desde 2009 e somam, na América do Sul, mais de 450 projetos entregues.

Soluções tecnológicas da Panasonic na Powermig

A Powermig é distribuidora e integradora dos robôs de solda da indústria japonesa, que são considerados os mais tecnológicos e velozes do mercado. Além disso, também são comercializadas as máquinas de solda da marca japonesa.


Agradecemos a visita! É sempre um prazer recebê-los em nossa casa!

A chamada quarta revolução industrial – Indústria 4.0

O impacto da robótica junto com o avanço da revolução tecnológica na indústria chama atenção para os efeitos da quarta revolução industrial, onde processos são representados por inteligência artificial com a hiper-automação, a conectividade da robótica, big data e controle por nuvem. 

O crescimento de robôs na produção industrial, os quais são um dos principais elementos da Indústria 4.0, tem ajudado a gerar maior atenção e curiosidade em torno das mudanças digitais que estão ocorrendo na produção e processamento de produtos.  

A introdução de robôs nos setores de produção e até da medicina reflete nas habilidades dos trabalhadores, o que significa que tarefas repetitivas, perigosas e pouco estimulantes serão confiadas aos companheiros automatizados, enquanto o trabalhador poderá dedicar-se à supervisão ou às atividades de maior especialização para crescimento da empresa. 

Também esse impacto envolve as atividades no mundo do trabalho: novos papéis são formados, novas ocupações e novos mercados de nascem da formação de trabalhadores e suas novas especializações. 

De acordo com o estudos da IFR –(Federação Internacional de Robótica) , é certo considerarmos como o impacto positivo da automação, a situação vantajosa que permite às empresas se manterem constantemente mais competitivas e conforme aumenta a produtividade, as contratações de pessoas também aumentam.  

A automação robótica, sem esquecer, possui efeitos diretos na qualidade do trabalho, as atividades em que os robôs são mais utilizados, são aquelas caracterizadas por: alta repetitividade, maior precisão e em alguns casos perigosas.  

Onde vai ocorrer uma redistribuição de tarefas onde os colaboradores podem aplicar habilidades cada dia mais na resolução de problemas e criatividade

O impacto no setor industrial é certamente amplo e avassalador, mas traz inúmeros benefícios para indústrias e trabalhadores. 

Acordo de distribuição do regulador eletrônico de gás brasileiro (eco-gas) entre Brasil e Japão é firmado

No final do mês de outubro de 2020, nosso parceiro e cliente Honda Trading Corporation, com sede em Tóquio, assinou o contrato de distribuição exclusivo para todo território Japonês com a Powermig. 

Um passo importante na evolução tecnológica das empresas tornando processos de soldagem mais eficiente, onde juntos as empresas promovem economia e sustentabilidade a seus clientes.  

O equipamento Regulador Economizador de Gás “ECO-GAS”, monitorando e controlando o consumo de gás de proteção (dióxido de carbono CO2, argônio, gás mistura) utilizados para soldagem a arco (soldagem MAG / MIG) manual ou automática, onde realiza o ajuste automaticamente do fluxo de gás ideal de acordo com a variação da corrente de soldagem.

Além disso, controla o fluxo de gás utilizado no início da soldagem, registra o consumo acumulativo, arco aberto e quantidade de soldas realizadas, assim gerando dados de monitoramento do processo de soldagem.  

Realiza uma economia média de 60% no consumo do gás na soldagem, contribuindo para a redução dos custos na fabricação de peças e rápido ROI (retorno do investimento).

Sobre automação industrial: A robótica também gera oportunidades de empregos!

Na evolução da indústria 4.0, com a tecnologia a cada minuto apresentando novos recursos e facilidades para os negócios, os robôs veem para serem mais adaptáveis, acessíveis e fáceis de programar para qualquer necessidade industrial. 

São uma das melhores opções para execução de tarefas precisas, aumento da produtividade, otimizar as operações e aumentar a qualidade dos produtos fabricados para uma melhor vantagem competitiva no mercado. 

Mas, ao mesmo tempo de todas vantagens que ele possui, um detalhe muito importante é que está ajudando a redistribuição dos colaboradores atuais das empresas para se focarem em demais tarefas de maior valor agregado, onde ajudem as empresas no crescimento de lucros e criando novas oportunidades e ocupações. 

Veja abaixo algumas dessas oportunidades:

Programador

Cargo para soldadores experientes, que já possuem vivência na área de automação industrial ou que possuem treinamento adequado para começar a operar. 

Esse cargo pode ser dedicado a programação dos robôs de solda nas linhas de produção das empresas, envolvendo o uso de softwares de programação offline, como o DTPS (Desk Top Programing and Simulation System) oferecido pela Powermig, que gera ao programador a liberdade de criar, testar e ajustar o programa de trabalho sem que precise ser interrompida a produção. 

Lembrando que é sempre importante que o programador seja treinado a cada nova atualização para que possa ajudar na manutenção e montagem de células ou robôs conforme seja necessário. 

Operador para célula robotizada/Robô

Responsável por quem vai operar as funções dos robôs, o operador poderá efetuar o carregamento e descarregamento dos produtos, efetuando uma análise mais precisa da qualidade das peças e reabastecendo outros consumíveis necessários para o processo.

Técnico em robótica

Responsável pela manutenção interna, que poderá testar e gerar sistemas das células robotizadas conforme a demanda e necessidade para que as operações se mantenham em funcionamento sem atrasos e problemas. Cuidará da manutenção preventiva e corretiva, cursos que estão disponíveis para aquisição na Powermig.

Algumas dessas ocupações exigem um nível de  conhecimento e habilidade maior, é importante que as empresas façam planos de treinamentos e atualizações para aperfeiçoar  os conhecimentos de seus trabalhadores atuais e novos à medida que as necessidades vão surgindo. 


As empresas que estão optando no investimento em automação industrial, estão conseguindo lidar com as oscilações dos mercados com maior confiança e facilidade, mantendo seus funcionários e mantendo-se lucrativos e competitivos. 

Se a implementação de células robotizadas já é uma pauta em seus negócios e empresas, nós podemos ajudar a garantir o projeto ideal conforme a necessidade e para o melhor ROI (Return On Investment).

Você sabe os mitos e verdades sobre os sistemas de soldagem robótica?

É muito cara para a minha empresa

O custo é uma das principais dúvidas quando pensamos em automação robótica. E talvez você tenha ouvido falar que isso custaria muito mais do que a realidade. 

Mas, na realidade os sistemas automatizados podem ser personalizados para atender exatamente ás necessidades da sua empresa, você pode precisar apenas de uma célula robótica pequena para fabricação de peças específicas, alterar volume anual, espaço físico, aumentar sua capacidade produtiva ou reduzir o desperdício de material no ato da soldagem. 

Independente de quais  sejam suas necessidades, a Powermig pode realizar e ajudar em uma avaliação de seus negócios para garantir que você esteja obtendo exatamente as soluções que fazem sentido.

Você também pode considerar algumas perguntas para ajudar na  análise de custos entre soldagem manual e robôs:

  • Qual o valor para contratar operadores de solda qualificados e treinados, se você puder encontrar?
  • Que tipos de soldagem e habilidades adicionais e precisas podem ser feitas sem erros por solda manual?

Preciso fabricar um grande volume de produtos para usar automação?

Você pode se perguntar se o volume e quantidade de produtos que sua empresa fabrica faria a compra de um sistema robótico valer a pena. Respondendo a pergunta, os sistemas automatizados de soldagem são ótimos para executar grandes volumes de peças, mas também podem ser ótimos para peças de baixo volume, com alta mistura e troca de material.

Para muitas empresas, a qualidade, consistência e a redução de custos que a soldagem robótica pode produzir, mesmo com algumas poucas variações de peças, podem justificar as despesas do robô. 

Os sistemas podem conter diversos programas, tornando a transição simples, econômica e personalizada.

A soldagem robótica não produzirá boa qualidade

Todo mundo sabe que uma boa soldagem combina  com operador qualificado. A soldagem robótica é qualificada e mais rápida, mais barata e com mais eficiência, eliminando possíveis erros do cotidiano que passam despercebidos. Velocidade e consistência significam produtividade, um dos principais benefícios de um sistema de soldagem robótica. 

Isso significa que você pode reduzir ou, até eliminar, retrabalhos ou desperdícios de materiais sabendo que o que está produzindo atenderá qualquer requisito de qualidade e satisfação do seu cliente. 

Outro benefício da soldagem robótica é que ela permitirá que seus soldadores entrem em projetos que exijam suas habilidades e reduzam o trabalho repetitivo.

Com uma combinação de sistema robotizado e colocaboradores humanos, você criará uma equipe para fazer o seu trabalho de melhor qualidade ainda, com uma redução de custos mais clara.

A programação robótica é complicada

A programação se torna a cada dia mais fácil, e nossa empresa pode configurar o treinamento necessário para ajudar seus colaboradores na adaptação. 

Ficou com alguma dúvida? Fale com a gente!
(54) 3022.5064 / vendas@powermig.bom.br